Star Wars

A estreia de Star Wars: O Despertar da Força nos cinemas, marcou um recomeço para a franquia de 39 anos. Lançado em 2015, foi o primeiro criado com a nova organização do universo fictício feita após a compra da Lucasfilm, responsável pela existência de Star Wars, pela Walt Disney Company.

Há dez anos não havia um novo filme Star Wars nos cinemas, mas a distância temporal não afetou negativamente sua bilheteria. O sucesso das campanhas de marketing feitas para divulgar o longa já mostravam que esse seria mais um sucesso de vendas para a franquia. O primeiro teaser, lançado em 2014, foi assistido 40 milhões de vezes em 72 horas. O último trailer foi exibido durante o intervalo de um jogo da NFL e obteve mais audiência que o intervalo do SuperBowl. Logo após a transmissão, o trailer foi divulgado online e, em pouco mais de um dia, já tinha mais de 14 milhões de visualizações. A pré-venda para ingressos tirou do ar sites de venda. Nos Estados Unidos, Star Wars quebrou o recorde de vendas no primeiro dia, comercializando oito vezes mais que Jogos Vorazes, detentor do título desde 2012. A dois meses de sua estreia, salas já estavam lotadas em todo o mundo.

Em toda a sua história, Star Wars provou ser mais que apenas uma sequência de filmes de sucesso. A franquia foi além e transformou-se em um universo amado por seus fãs. Uma gigante do entretenimento que tem sua história desmembrada em filmes, quadrinhos, livros, seriados, games e brinquedos. Star Wars tornou-se uma referência não apenas na história do cinema, mas na cultura global.

Nesse universo, pretendo comentar como a história, que começou como um filme, cresceu, virou essa referência em cultura geek e como a Walt Disney, nova gestora do universo, organizou o conteúdo criado e está desenvolvendo novos filmes e definindo como será a presença de Star Wars no mundo digital.