Browsing Category

Drama

Drama, Young Adult

Resenha: Garota Desaparecida, Sophie McKenzie

A história criada por McKenzie mostra como pequenos acontecimentos podem mudar nossas vidas. Quem nunca teve que se descrever para algum motivo? Seja na escola, num perfil na internet ou em qualquer outro lugar. É raro não ficarmos em dúvida do que colocar, mas Lauren tem motivos extras para isso.

Lauren mora na Inglaterra e sempre soube que é adotada. Mas, quando uma breve pesquisa sobre o seu passado revela a possibilidade de ela ter sido roubada de uma família americana ainda bebê, a vida de Lauren de repente parece uma fraude. O que ela pode fazer para tentar encontrar os pais biológicos? E seus pais adotivos terão sido os responsáveis por sequestrá-la? Lauren convence sua família a fazer uma viagem para o outro lado do Atlântico e, lá chegando, foge para tentar descobrir a verdade. Mas as circunstâncias de seu desaparecimento são sombrias, e os sequestradores de Lauren ainda estão à solta — e dispostos a qualquer coisa para mantê-la calada.
Fonte: Skoob

O que eu mais gostei nessa história é como os fatos começam. Lauren está escrevendo uma redação para a escola sobre quem é, e, por acaso, resolve pesquisar seu nome em uma site de crianças desaparecidas. Sua mãe adotiva, apesar de ser clara sobre a adoção, não quer contar mais detalhes para a protagonista, o que desencadeia toda a história de descobrir por ela mesma seu passado.

Essa leitura fluiu muito rápido. Foram 238 páginas lidas em um único dia, com várias pausas. A autora consegue te envolver e, com uma linguagem simples e acontecimentos rápidos, logo chegamos ao desfecho da história.

Gostei bastante da construção do enredo. Lauren não é revoltada, apenas curiosa. E dá pra entender os motivos que a levam a tomar as decisões e escolhas que direcionam a história. Achei alguns fatos meio forçados no meio da narrativa, como as partes que citam os sequestradores, mas não é nada que estrague a história.

É o livro de estreia de Sophie Mackenzie e já tem sequências publicadas no exterior. A história foi inspirada num caso real de uma criança desaparecida, o que torna ainda mais legal a leitura. Super indicado para fãs de YA, suspense e livros para ler em um dia.

Ficha técnica
Autor: Sophie McKenzie
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 238
ISBN-10: 8576864177

Drama, Livros, Young Adult

Resenha: Novembro, 9, Colleen Hoover

O que faz um beijo valer um livro? Essa é a pergunta que aparece nas primeiras páginas de Novembro, 9, e dá a direção para o desenvolvimento da história. O que faz os romances literários melhores (ou piores) que os reais? O que a gente ama num livro, mas sairia correndo se estivesse vivendo?

Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?
Fonte: Skoob

Fallon conhece Ben em uma situação inusitada: em um almoço com seu pai, quando as coisas não vão nada bem, Ben, que estava na mesa ao lado, decide sentar ao lado dela e fingir ser seu namorado. O dia? 9 de novembro. Mas esse dia também não é uma data qualquer. Além de Fallon estar de mudança para Nova York naquela noite, foi quando, alguns anos antes, ela estava na casa de seu pai, durante um incêndio.

O fogo deixou cicatrizes tanto em seu corpo quando em sua personalidade. Ele pausou sua promissora carreira de atriz mirim, afetou seu relacionamento com o pai, que escapou ileso do fogo e esqueceu que Fallon estava na casa. Ele tirou muito da sua autoconfiança e, de algum modo, tirou muito de sua vida. Por isso ela está de partida para o outro lado do país, em busca de um recomeço.

Mas Ben surge e entre eles, uma química incrível. Romance digno de livro, mas Fallon não quer se iludir e segue uma regra de sua mãe, de não se apaixonar antes dos 23 anos. Eles criam então uma saída: se encontrar novamente dali um ano. Não trocam telefone ou e-mail, bloqueiam o outro nas redes sociais e prometem não tentarem contato até o próximo encontro. A história impediria Fallon de se entregar e também daria a Ben um enredo para seu livro.

A ideia é super bacana e Colleen escreve de uma maneira que te convence que é a melhor solução para a história deles, mesmo com todos os potenciais riscos. A história nos conta cada um dos 9 de novembro que seguem, nos atualizando sobre o ano anterior e dando uma ideia do futuro. É natural torcer para a felicidade dos dois como casal, mesmo que isso só aconteça no futuro.

Apesar de ser um romance até certo ponto clichê, a autora criou belas revira-voltas na história. Fatos novos e surpreendentes que dão um novo tom para a narrativa e deixam a história mais densa, de certo modo, e também mostram os motivos do sucesso de Colleen como escritora. É um livro maravilhoso para fãs de YA, romances, que te fazem rir e chorar ao mesmo tempo. Mais que aprovado!

Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 352
ISBN-10: 8501076252

Drama, Livros

Resenha: Quarto, Emma Donoghue

Não vou mentir, descobri Quarto quando o filme apareceu na lista dos indicados ao Oscar e, ao assistir, foi amor à primeira vista. Não consegui esperar muito para pegar o livro e, apesar de não ser dos mais curtos, li super rápido.

Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.
Fonte: Skoob

Jack acaba de completar cinco anos quando começa sua narrativa. Vivendo no pequeno quarto, único lugar que conhece desde que nasceu, nos apresenta seu mundo: as coisas reais, os planetas da TV, o espaço sideral – que começa assim que o quarto acaba – e como vive seus dias com a sua mãe: as brincadeiras, aulas de corrida pelo quarto, dias de faxina e outros aspectos do dia a dia. Nos apresenta também o velho Nick, que visita sua mãe às noites e traz comida, remédios e presentes de domingo, como roupas novas.

Aos cinco, Jack está mais curioso, fazendo mais perguntas e desconfiando da sua lógica para a realidade do mundo. É quando sua mãe percebe que precisa tentar fugir e bola um plano que necessita de passos milimetricamente acertados por um menino de cinco anos que nunca viu o mundo. Arriscado, mas a única alternativa.

A narrativa de Jack é super envolvente e traz ao livro a sutilidade que precisa para tratar um drama e assuntos como sequestro, cativeiro e até uma gravidez vivida nessa situação sem deixar o livro pesado. É uma narrativa delicada que mostra as descobertas do menino e, mesmo que de um ponto de vista de fora, o emocional da mãe, que está há sete anos sem contato com seu mundo.

O livro também trata do Lá Fora. Fala de como nossas expectativas podem falhar, como as pessoas reagem de diferentes maneiras às situações. Trata da nossa realidade na cobertura jornalística de tragédias, de como assediamos as pessoas nesses momentos e algumas consequências. É um livro real, sobre a vida real, relacionamentos humanos e dramas cotidianos. É um pequeno tapa na cara de realidade que é bem vindo.

Ao invés de pequenos capítulos, o livro é dividido em quatro grandes blocos da história, que funcionam muito bem para separar e organizar a linha do tempo. Não tenho críticas a fazer ao livro. Se tornou minha história favorita desse ano, ainda no cinema, e vai ser difícil perder esse posto. O livro é diferente do filme, apesar de ter seu roteiro escrito pela autora. São mudanças que não alteram o resultado final. Alguns detalhes foram deixados de fora no longa, como é esperado, mas o conteúdo da história é passado da mesma maneira.

Ficha Técnica
Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Páginas: 350
Ano: 2011
ISBN-10: 8576861313