Browsing Category

Chick-lit

Chick-lit, Romances

RESENHA: GAROTAS DE VESTIDO BRANCO, JENNIFER CLOSE

Garotas de vestido branco narra a vida de várias amigas em seus 20 e poucos anos. Poderia ser a história de basicamente qualquer jovem mulher (até homem, ouso dizer) e isso é, ao mesmo tempo, um dos pontos positivos e negativos do livro.

Isabella, Mary e Lauren sentem que todos os seus amigos estão se casando. Domingo após domingo, chá de panela após chá de panela, elas admiram presentes, recolhem fitas e papéis de embrulho e comem sanduíches e cupcakes enquanto usam vestidos em tons suaves e bebem champanhe. Mas, em meio a tanta comemoração, essas mulheres têm a própria vida para enfrentar. Com um senso de humor carregado, Jennifer Close nos faz reviver os tempos de emoção, desconcerto e “o que diabos estou fazendo com a minha vida?” do início da idade adulta. Passando por péssimos encontros familiares, viagens desastrosas e relacionamentos arruinados pela política ao mesmo tempo que outros começam em pet shops, Garotas de Vestido Branco nos leva para dentro de um círculo de amizade que, com perfeição, reúne alegrias e frustrações da vida moderna.
Fonte: Skoob

A narrativa começa com Isabella lembrando o casamento da irmã mais velha, que aconteceu alguns anos antes. A história então pula para o dia no qual decide se mudar para Nova York, e ai temos a primeira ideia de como será a narrativa. Jennifer Close opta por uma narrativa não linear, o que torna as coisas dinâmicas (super bem utilizado para uma história sobre pessoas comuns), mas também um pouco confusas (Quem ia casar mesmo? Mas esse filho nasceu ontem, com quantos anos ele está?).

O livro me surpreendeu por ir além da sinopse. A história não é sobre intermináveis chás de panela, mas sobre começar a vida adulta, arrumar um emprego, trocar de carreira, arrumar um namorado, talvez um noivo, um apartamento e também lidar com todas as crises dessa idade: meu emprego não paga o apartamento, o namorado é um idiota, minhas amigas estão com a vida resolvida e eu ainda sinto como se tivesse 14 anos.

Demorei um pouco para engatar na história, pois o estilo da narrativa deixa as coisas um tanto superficiais, especialmente para o leitor criar empatia com as personagens, mas depois que engata, a narrativa fica bem gostosa e dá pra rir das situações que as personagens passam e torcer para elas como se fizéssemos parte do grupo. Achei que a história terminou meio sem fim, mas como ela também começa sem um começo muito definido, estou bem com a decisão da autora.

É o típico livro que daria um bom filme de comédia romântica pra assistir (nesse caso, ler) despretensiosamente enquanto come pipoca e brigadeiro. O livro não é dos mais curtos, mas também não é dos mais longos. Os capítulos são focados em uma das personagens, tem um tamanho bom e são divididos em várias cenas diferentes, que vão contando diferentes situações para completar o total.

Ficha técnica
Autora: Jennifer Close
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2016
Páginas: 280
ISBN-10: 8528618188

Chick-lit, Literatura Brasileira, Livros

Resenha: A Mentira Perfeita, Carina Rissi

Mentira Perfeita é um combo completo do romance chick-lit: tem personagens divertidos, caras lindos, um draminha para motivar a história, amor surgindo de onde não se espera e trama clichê (no melhor sentido). Uma delícia de livro pra quem, como eu, adora uma história leve para perder uns dias lendo.

Com Mentira Perfeita, Carina Rissi prova mais uma vez que o seu forte é contar boas histórias, com ritmo acelerado e repletas de paixão, humor e reviravoltas. Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa qualquer coisa mesmo! por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre… E então o milagre acontece: Berenice se recupera e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente… Mentira Perfeita é um spin-off de Procura-se Um Marido, uma história que se passa no mesmo universo da primeira. Aqui você vai conhecer novos personagens inesquecíveis, além de rever aqueles que já moram no seu coração.
Fonte: Skoob

Este foi o meu primeiro contato com as histórias da Carina. Já conhecia a autora, mas ainda precisava dar uma chance aos seus livros. A oportunidade veio agora, com a parceria com o Grupo Editorial Record, e estou muito feliz que não deixei passar. A escrita é leve, a autora criou uma história bem original, que mesmo seguindo os já esperados clichês do gênero, nos surpreende em vários momentos.

A história tem a narrativa dividida entre Júlia, a personagem principal, e Marcus, o cara que surge na vida da Júlia com uma proposta esquisita que soluciona seus problemas e dá início a todo o desenrolar da trama. Pra explicar o que acontece, preciso comentar um dos diferenciais da história: Marcus é cadeirante, coisa que não se vê muito em livros do gênero, pelo menos não nos que eu li. Enquanto Júlia precisa de um noivo para não ter que revelar para a tia Berê que mentiu para ela que estava namorando, Marcus precisa de uma cuidadora para que seus pais e irmãos o deixem morar sozinho.

Ai acontece o que muita gente prevê lendo a sinopse: fingir ser um casal acaba em paixão. Mas a história não é tão simples assim e é nesse meio que a narrativa vai se desenrolar. Vemos o desenvolvimento do amor dos dois enquanto temos problemas no trabalho, a saúde da tia da Júlia, o casamento do irmão do Marcus, a ansiedade de saber se a lesão dele é definitiva (ele ficou paraplégico em um acidente de moto e pode, talvez, voltar a andar). A história é bem verossímil, apesar de alguns detalhes aqui e ali, mas que não afetam muito a história.

As personagens são bastante dimensionais. Conhecemos vários momentos do passado que os levaram a ser quem são hoje e isso adicionou uma certa profundidade à narrativa – dentro do esperado do chick-lit. Gostei bastante da escrita da Carina: rápida, sem muita enrolação, bastante direta e bem contemporânea. Em vários momentos parecia que Júlia e Marcus estavam sentados ao meu lado me contando a história deles. Gostei também que Júlia é programadora e não qualquer outra profissão clichê de chick-lit (jornalista, blogueira, patricinha, etc). Na verdade ela é bem única e foge de vários estereótipos.

Como é um spin-off, não ter lido os outros livros da Carina não fizeram falta, mas fiquei bem curiosa para saber quais outros personagens já passaram pela criativa escrita da autora.

Ficha técnica
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 462
ISBN-10: 8576864584