Livros, Romances

Resenha: É assim que acaba, Colleen Hoover

Colleen Hoover é o tipo de autora que sabe escrever um livro envolvente. Já li algumas histórias românticas criadas por ela e já sei um pouco o que esperar em seus livros. De qualquer maneira, esse me surpreendeu em vários aspectos.

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade.
Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco.
Fonte: Grupo Editorial Record 

Lily, Ryle e Atlas são meus personagens preferidos da Colleen. A história se passa quando os três estão no começo da vida adulta, seus 20 e poucos anos, começando carreiras, mudando de sonhos e lidando com relacionamentos. Esse foi um dos aspectos que mais gostei no livro, já que até então só tinha lido livros dela direcionados a Young Adults, com os conhecidos personagens de 16 anos.

Os três têm histórias de vida que justificam quem são e decisões que tomam no presente. Marcados por fatos em seus passados, que aparecem com frequência em várias das situações do presente, temos uma narrativa que fica bem dinâmica. Lily é quem conta a história. Pelo seu ponto de vista, acompanhamos seu novo emprego e relacionamento com Ryle enquanto lemos seus antigos diários e conhecemos mais sobre ela e também sobre seu primeiro amor, Atlas.

Tudo poderia ser um romance água com açúcar, um triângulo amoroso, mas (como já é esperado em um livro da Colleen), temos uma situação dramática na história. Dessa vez, a pauta escolhida é a violência doméstica. Desde o começo do livro sabemos que o pai de Lily abusava de sua mãe, mas Colleen nos surpreende e coloca o assunto no centro da narrativa no presente e com nossos personagens principais.

“Quinze segundos. Isso é tudo o que é preciso para mudar completamente tudo sobre uma pessoa.”

Não tem como parar de ler depois que chegamos a esse ponto. Não tem como não nos colocarmos no lugar das personagens. É a partir daqui que a narrativa te coloca para refletir.

“Todos somos humanos e, às vezes, fazemos coisas ruins.”

Eu gostei muito do modo como as situações foram conduzidas. É tudo verossímil e isso deixa o livro muito melhor. Colleen fez um trabalho excelente em conduzir a narrativa sem induzir o leitor a ter uma opinião a favor ou contra os personagens. Você toma as próprias decisões e pode concordar ou não com as escolhas tomadas.

Considero esse o melhor livro publicado pela Colleen até o momento aqui no Brasil. Só achei que o título em inglês (It Ends With Us) faz muito mais sentido com a narrativa que a tradução, mesmo sendo quase um spoiler. Vale super a pena a leitura, mas também vale o aviso que temos cenas bem explícitas de violência. Inclusive, no fim do livro, temos notas da autora, que também são explícitas, sobre o que a inspirou a contar essa história.

Ficha técnica
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2018
Páginas: 368
ISBN-10: 8501301647

Previous Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply