Música, Shows

Maroon 5 em Curitiba

If happy ever after did exist, I would still be holding you like this, ou mais ou menos isso, é a sensação que ficou depois do show do Maroon 5 em Curitiba na última quinta-feira, dia 14 de setembro. Depois de algumas horas de discotecagem da DJ responsável pela abertura (situação que ficou meio chata pois pouca gente realmente prestou atenção) a entrada da banda foi bem pontual, o que tranquilizou vários dos fãs que se lembram de ter esperado em pé por mais de três horas no show que aconteceu em 2012.

Apesar do áudio do microfone estar meio baixo, Adam Levine dominou o palco e animou quem estava presente. A primeira música, Moves Like Jagger, teve uma abertura diferentona – a banda curte dar uma boa risada e colocaram uma montagem de músicas assobiadas para aumentar a ansiedade de quem esperava, só pode.

No setlist, hits mais atuais como Animals e Sugar, mas sem deixar de lado os primeiros sucessos como This Love e She Will Be Loved, do primeiro álbum. She Will Be Loved, aliás, virou uma das minhas melhores memórias de shows, pois o eco do público cantando, acompanhados apenas da voz de Adam e violão de James Valentine tornaram o momento incrível. Além disso, eles perceberam que um casal que estava na grade tinha acabado de noivar e dedicaram a música aos dois, com direito a conselho amoroso: “Happy wife, happy life”. Outro momento lindo foi quando, à capela, cinco dos integrantes se abraçaram e cantaram os primeiros acordes de Payphone.

Senti falta dos últimos lançamentos no setlist e de um pouco mais de interação com o público – o show é super acelerado, um hit atrás do outro e acaba pouco espaço para um contato mais pessoal entre banda e fãs. A última música foi um cover e não sei até que ponto foi uma boa ideia já que deu pra perceber que nem todos conheciam o que eles estavam tocando e o fim do show é aquele último momento para tornar a apresentação inesquecível. A acústica também poderia ser melhor – detesto ir em show e não precisar gritar para conversar com quem está do meu lado. Fiquei bem pertinho do palco e foi o que aconteceu praticamente o show todo, só arrumaram nas últimas músicas.

Tirando isso, é um show que vale muito a pena e que vou lembrar pra sempre. Os agudos do Levine são de outro mundo, é muito legal perceber como a banda investe em mais de um estilo de música e acabam com um repertório bem variado e gostoso de acompanhar. Adam tem uma presença de palco gigante, dança o tempo todo e não esquece de pisar em nenhum centímetro do espaço que tem disponível.

Depois do show ainda acompanhei pela tv as duas outras apresentações do Maroon 5 aqui no Brasil no Rock In Rio (fã louca) e posso dizer que, apesar de pequenas mudanças, a passagem da banda por aqui foi bem consistente e entregou o que prometeu: diversão para quem mais importa, seus fãs.

Setlist:

  1. Moves Like Jagger
  2. This Love
  3. Harder to Breathe
  4. Locked Away (Rock City cover)
  5. One More Night
  6. Misery
  7. Love Somebody
  8. Animals
  9. Maps
  10. Lucky Strike
  11. Let’s Dance (David Bowie cover)
  12. Sunday Morning
  13. Makes Me Wonder
  14. Payphone
  15. Daylight
    Encore:
  16. She Will Be Loved
  17. Don’t Wanna Know
  18. Sugar
  19. Let’s Go Crazy (Prince cover)
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply