Livros

RESENHA: OUTRO CONTO SOMBRIO DOS GRIMM, ADAM GIDWITZ

Contos de fada dificilmente decepcionam. Sou a louca viciada nessas histórias infantis e adoro como elas vivem rendendo releituras, adaptações e como são inspiração pra tanta gente. Outro Conto Sombrio dos Grimm é uma dessas incríveis releituras.

Depois de revisitar a história de João e Maria, mostrando o conto original dos irmãos Grimm, o autor mais uma vez usa a escrita original dos autores para mostrar a verdadeira aventura de João e o Pé de Feijão. Juntem-se a este conto de fadas pra lá de diferente e acompanhem João e Jill pelas histórias dos Irmãos Grimm, de Hans Christian Andersen e de outras figurinhas do universo do faz de conta. E se preparem para descobrir paisagens incríveis, que podem ou não! ser assustadoras, sangrentas, aterrorizantes e cheias de surpresas.
Fonte: Skoob

Adam Gidwitz resgatou a origem mais sangrenta dos contos de fadas nesse livro. Com três personagens principais e um narrador que vive conversando com o leitor, passamos por vários contos – não vou citar nomes porque não conheço todos – que estão conectados, criando uma grande história. Um dos personagens é João, aquele do pé de feijão. A outra, a Princesa Jill. O terceiro, um Sapo falante.

O fantástico dos contos de fadas está presente em todos os capítulos, que representam os diferentes contos que inspiraram o autor. Temos duendes, gigantes, feijões mágicos, animais que falam, sereias, espelhos mágicos, etc. A linguagem é bem gostosa e as conversas que o narrador tem com o leitor quebram a quarta parede, sendo assim, não somos leitores acompanhando a história, é mais como se alguém estivesse nos contando a história – o que faz todo o sentido com os contos de fadas, que antes de aparecerem nos livros eram contados e hoje geralmente são lidos para as crianças.

A história criada por Gidwitz é envolvente e conecta muito bem os contos. Jill foge de casa e vai ao encontro de seu primo João, que trocou sua vaca por um feijão que disseram ser mágico. Eles encontram uma bruxa que torna o feijão mágico, mas dá para eles um desafio: encontrar o espelho mágico ou então, ela os mataria. Eles começam então sua busca pelo espelho no ponto mais alto da terra, a casa dos gigantes que fica no topo do pé do feijão mágico. De lá, partem para o ponto mais baixo da terra, casa dos duendes.

As partes sangrentas da história são sangrentas. O autor não teve frescuras de narrar cenas nojentas. Claro, tudo com limites para a idade do público do livro. A minha impressão é que qualquer garoto (ou garota sem frescuras) de 10 anos vai amar essa história. Apesar de não ser um conto de fadas, exatamente, a história segue a estrutura narrativa desse gênero literário. Tem também personagens que representam o bem e o mal, presença de simbolismos e uma moral para a história.

É o segundo livro nesse estilo lançado pelo autor, mas não faz diferença ler ou não ou a ordem já que apenas a ideia é a mesma, mas as personagens e contos são outros. Sobre os contos, o Gidwitz adiciona ao fim do livro um capítulo contando as inspirações para as histórias. Achei super legal, até porque alguns contos não conhecia e ele explica ali como constrói a narrativa e como funciona essa coisa de inspiração para outras histórias.

Ficha técnica
Autor: Adam Gidwitz
Editora: Galera Junior
Ano: 2016
Páginas: 352
ISBN-10: 8501106860

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply