Drama, Livros

Resenha: Quarto, Emma Donoghue

Não vou mentir, descobri Quarto quando o filme apareceu na lista dos indicados ao Oscar e, ao assistir, foi amor à primeira vista. Não consegui esperar muito para pegar o livro e, apesar de não ser dos mais curtos, li super rápido.

Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.
Fonte: Skoob

Jack acaba de completar cinco anos quando começa sua narrativa. Vivendo no pequeno quarto, único lugar que conhece desde que nasceu, nos apresenta seu mundo: as coisas reais, os planetas da TV, o espaço sideral – que começa assim que o quarto acaba – e como vive seus dias com a sua mãe: as brincadeiras, aulas de corrida pelo quarto, dias de faxina e outros aspectos do dia a dia. Nos apresenta também o velho Nick, que visita sua mãe às noites e traz comida, remédios e presentes de domingo, como roupas novas.

Aos cinco, Jack está mais curioso, fazendo mais perguntas e desconfiando da sua lógica para a realidade do mundo. É quando sua mãe percebe que precisa tentar fugir e bola um plano que necessita de passos milimetricamente acertados por um menino de cinco anos que nunca viu o mundo. Arriscado, mas a única alternativa.

A narrativa de Jack é super envolvente e traz ao livro a sutilidade que precisa para tratar um drama e assuntos como sequestro, cativeiro e até uma gravidez vivida nessa situação sem deixar o livro pesado. É uma narrativa delicada que mostra as descobertas do menino e, mesmo que de um ponto de vista de fora, o emocional da mãe, que está há sete anos sem contato com seu mundo.

O livro também trata do Lá Fora. Fala de como nossas expectativas podem falhar, como as pessoas reagem de diferentes maneiras às situações. Trata da nossa realidade na cobertura jornalística de tragédias, de como assediamos as pessoas nesses momentos e algumas consequências. É um livro real, sobre a vida real, relacionamentos humanos e dramas cotidianos. É um pequeno tapa na cara de realidade que é bem vindo.

Ao invés de pequenos capítulos, o livro é dividido em quatro grandes blocos da história, que funcionam muito bem para separar e organizar a linha do tempo. Não tenho críticas a fazer ao livro. Se tornou minha história favorita desse ano, ainda no cinema, e vai ser difícil perder esse posto. O livro é diferente do filme, apesar de ter seu roteiro escrito pela autora. São mudanças que não alteram o resultado final. Alguns detalhes foram deixados de fora no longa, como é esperado, mas o conteúdo da história é passado da mesma maneira.

Ficha Técnica
Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Páginas: 350
Ano: 2011
ISBN-10: 8576861313

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply